2012: um ano decisivo para o Marketing Digital

Nem é preciso análises aprofundadas para comprovar que 2012 terminará como um divisor de águas para o marketing digital. Se antes as empresas pensavam duas vezes em direcionar orçamento para garantir presença de marca na internet, agora é exigência.

Doa a quem doer, ficar OFF definitivamente é coisa do passado, ainda mais com o acesso à tecnologia mobile crescendo exponencialmente no Brasil. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos Media CT, com o apoio do Google, pelo menos 27 milhões de brasileiros possuem smartphones.

Com o acesso à internet ao alcance do bolso, ficar de fora é um tiro no pé, ainda mais com o Android ocupando cada vez mais espaço no mercado. É claro que precisamos reconhecer nossa imaturidade sobre o assunto, até porque muito ainda precisa ser estudado quanto aos formatos ideia de publicidade mobile e métricas para análises de resultados, mas isso é questão de tempo.

Com tantas mudanças, o que era feito no improviso se transformou em um mercado promissor de atuação, sem espaço para amadores. O marketing digital se tornou tarefa para profissionais e não para o sobrinho que passa o dia inteiro no Facebook. Para a nossa alegria!

Agora, planejamento é regra e não exceção. Como diria nossa expert Renata Checha, “se planejando pode dar tudo errado, imagina sem planejar?”. Em 2012, vimos estratégias sendo executadas depois de muita pesquisa, pensadas nos mínimos detalhes e com metas predefinidas para gerar identificação no público-alvo e, consequentemente, garantir o engajamento.

E por falar em metas, o monitoramento finalmente consolidou-se como estratégia, mesmo com a grande volatilidade do comportamento do consumidor. É por essas e outras que os anunciantes estão conferindo ao digital um viés de marketing de relacionamento do que de conversão em acesso ou vendas, principalmente nas redes sociais.

Sabe aquela velha máxima de que “o conteúdo é rei”? Durante o ano, percebemos que as marcas começaram a cair em si sobre a relevância da qualidade perante a quantidade, principalmente no Facebook, mesmo com tanta gente (lê-se agência) descumprindo os termos de uso para ações promocionais.

O marketing digital também fez toda a diferença nas eleições de 2012, uma evolução do que presenciamos dois anos antes. Como já dissemos por aqui, o caminho ainda é longo no que se refere a abordagens e estratégias, mas a internet é definitivamente um grande influenciador de escolhas, sejam elas quais forem.

E toda essa evolução também foi sentida em âmbito regional. Durante 2012, a troca de conhecimento se intensificou em Goiás, com a realização de eventos e cursos de peso. As agências estão se arriscando mais e se uniram em prol da profissionalização do mercado, com a forcinha da Associação Brasileira das Agências Digitais (Abradi-GO).

Enfim, 2012 foi o ano de escolha. Ou a marca escolheu estar no digital ou perdeu tempo além da conta. E dinheiro, é claro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *