O mercado digital em 2013

Houve um momento que internet era tendência. Hoje é realidade. Não dá para ignorar este canal ao desenvolver estratégias de comunicação de uma empresa. Pois desde que explorada de forma correta, traz grandes retornos à marca.

As tendências abordadas aqui servem como base para que os gestores pensem no futuro de seu negócio baseado em pensamentos de especialistas da área. Pensando nisso, vejam “os desafios do marketing digital para 2013”, segundo a Tuddo Web:

Clientes

Sempre movido pela busca de resultados, os clientes perceberão que números sem retorno não são nada. Aliás, cientes da importância deste mercado, haverá um investimento maior na internet, e, consequentemente, maior exigência no famoso ROI (return on investment).

Anúncios

Desde o final do ano passado, as empresas enxergam o digital como mais um canal de comunicação e negócios efetivos, por isso estão investindo mais. Atualmente, existem empresas, inclusive em Goiânia, que destinam de 40% a 50% da verba de comunicação para o on-line. On x Off Em 2012, muitas agências começaram a trabalhar com o on-line. O maior desafio que elas terão é chegar ao mesmo nível de agências que estão há mais tempo no mercado, pois primeiro é necessário entender as características da internet e testar, tentar, errar e acertar. Porém, o que se observa atualmente é que as agências tradicionais não estão preparadas para trabalhar com internet.

Profissionais

Surgiram muitos “sobrinhos” que entendiam de Facebook. Mas o mercado precisa é de bons profissionais que atuem, além da gestão de redes sociais, nas outras várias áreas do amplo Marketing Digital. Que consigam ter uma visão macro sobre o caminho a ser percorrido para alcançar os resultados e quais os perigos de percorrê-lo. As empresas digitais também demandarão por profissionais de SEO, adwords e métricas que tenham conhecimento sobre as ferramentas e saibam as técnicas recomendadas.

Mobile

O mobile está mudando a forma das pessoas se comportarem. Uma prova disso é o usuário na frente da TV, com o uso da segunda tela, opinando sobre os programas. A tendência é interagir com o conteúdo cada vez mais, e chegar a influenciá-lo, até mesmo porque, em cada dois acessos às redes sociais, um é por meio da plataforma móvel. O que foi visto em relação ao surgimento de inúmeras redes sociais agora será visto em relação a aplicativos móveis.

E-commerce

Tudo depende das empresas, porque o usuário já está pronto para comprar pela internet. Mas, ainda existem grandes instituições que ignoram essa informação e perdem um canal em potencial para obtenção de lucros. O que se espera é que estas empresas passem a investir em e-commerce. Trabalhar com e-commerce e social commerce é ideal, principalmente por estarmos a um clique dos nossos concorrentes, aumentando a competição e as pesquisas de preços na pré – compra.

Redes Sociais

Como já foi dito, muitos clientes já entendem que número sem conversão não é interessante. As empresas responsáveis pelos trabalhos digitais terão que pensar em estratégias que vão além do engajamento, além da quantidade de curtidas, fãs, seguidores ou retuítes. O profissional de métricas será muito importante nesse processo, pois o objetivo maior será medir o que essa estratégia resultou em vendas para o seu cliente. Não adianta mais ‘estar’ nas redes sociais e fazer promoção “Curta e compartilhe”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *