Twitter, a sensacional ferramenta para o marketing eleitoral

De acordo com o Wikipédia, Twitter é uma rede social e servidor para microblog, que permite aos usuários enviar e receber atualizações pessoais de outros contatos (em textos de até 140 caracteres, conhecidos como tweets“), por meio do website do serviço, por SMS e por softwares específicos de gerenciamento.

Em uma pesquisa do Instituto Ibope um dos aspectos que se observa nesta rede é que os internautas estão muito ativos no sentido de falar sobre os temas em repercussão. No levantamento, é possível ver uma ligação desses assuntos com as mensagens postadas no Twitter e percebe-se também que os participantes desta rede social são em sua maioria formadores de opinião.  Na política eleitoral, para os candidatos, isso pode ser um reflexo da repercussão da campanha, do que vem sendo dito nos discursos, podendo se trabalhar e alterar resultados.

Nesta linha de resultados como bem lembram Weiwu Zhang, Thomas J. Johnson, Trent Seltzer and Shannon L. Bichard pesquisadores da Universidade do Texas (EUA), a maioria das recentes pesquisas em sites de redes sociais tem se concentrado sobre as características do seus usuários e poucos estudos tentaram  examinar o seu papel no envolvimento das pessoas no processo democrático.

Envolver os cidadãos nas discussões sobre política interpessoal

Em um  estudo desenvolvido por estes pesquisadores, eles analisaram em que medida social de sites de redes influenciam as atitudes políticas e a participação democrática e concluíram que o uso das redes sociais sites como o YouTube, Facebook, MySpace está relacionado positivamente à participação cívica, mas não para a participação política ou de confiança no governo. Puderam assim  concluir que para estimular a participação cívica e política, temos de nos concentrar em envolver mais os cidadãos mais nas discussões sobre a política interpessoal.

Estudo: Os políticos na internet no Brasil

Resultados semelhantes obtiveram Hilton Fernandes e Ludmila Almeida aos estudarem os políticos na internet no Brasil. Segundo eles, apesar do Twitter promover o aumento da proximidade entre políticos e cidadãos, o estímulo à participação política ainda depende da ampliação de uma cultura de envolvimento político, sem a qual os meios de comunicação, quaisquer que sejam não são mais que um disseminador de informações.

Uso do Twitter no processo eleitoral de Goiás

A exemplo destes três relevantes estudos, o professor Luiz Carlos Fernandes, graduado em jornalismo, com especializações em Marketing (FGV), Marketing Político (UFG), Pesquisa de Mercado (F. Cambury), Mestrado em Comunicação (UFG) e Doutorando em Socilogia (UFG) em sua tese busca analisar a utilização desta ferramenta de micromensagem no processo eleitoral de Goiás em 2010. Para tanto, está realizando uma pesquisa online com esse objetivo. Os resultados, segundo ele, depois de aprovado em banca, estarão disponíveis publicamente, atendendo ao interesse público.

Ajude a colocar Goiás na frente no quesito redes sociais e colabore respondendo esta pesquisa online sobre o uso do twitter na campanha eleitoral de 2010 

 

Colaboração: Professor Luiz Carlos Fernandes

1 Comment

  1. […] Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou que o Twitter não pode ser usado antes do início da campanha eleitoral, em 6 de julho, por candidatos ou partidos com o intuito de […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *